23 de junho de 2016

O aparecimento do anticristo, o vigário de Satanás!

Sermão ministrado na Igreja Cristã Despertar da Graça em 22/06/2016

Mateus 24. 5,24; João 5.43



Pelas Escrituras, percebe-se que, assim como a segunda vinda de Cristo era um assunto amplamente abordado dentro das comunidades cristãs primitivas, a questão do aparecimento do anticristo também o era. Não há dúvidas de que os apóstolos, seja através das ministrações, seja através das cartas circulares, instruíam os cristãos acerca da chegada do anticristo. Prova disto é que o apóstolo João ao escrever sua primeira epístola, assinalou: “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora”. (1 João 2.18 – grifo meu)

Peço-lhes que volte a sua atenção para a expressão grifada “como ouvistes”. Como efeito, o apóstolo não está dizendo nada de novo, ele apenas está reforçando, repetindo e enfatizando algo que já era de conhecimento dos crentes. João deixa isso bastante claro, poucas linhas depois: “Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade”. (1 João 2.21)

Ainda falando no conhecimento que os cristãos primitivos tinham acerca do aparecimento do anticristo, é interessante enfocar que a expressão “como ouvistes” é novamente usada por João nesta mesma epístola pouco tempo depois, veja: “e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo”. (1João 4.3 – grifo meu)

Entretanto, não há como negar que, a importância do conhecimento da chegada do anticristo, em relação à segunda vinda de Cristo torna-se ainda mais necessária quanto se lê o segundo capitulo da segunda carta de Paulo aos tessalonicenses: “Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição”. (2 Ts 2.3) Note que, indiscutivelmente, à  luz desta carta direcionada aos crentes em tessalônica, não há como falar da segunda vinda de Cristo, sem se falar no aparecimento do anticristo. Não há como fazer a desconexão entre os dois assuntos.

Já é do conhecimento de alguns que, particularmente, estou unido à fileira daqueles que acreditam que a segunda vinda de Cristo somente se dará após a manifestação do anticristo. Digo isso embasado principalmente na expressão inequívoca de Paulo “porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição”.

Inúmeros intérpretes das Escrituras acreditam que, a tradição do ensino na igreja cristã primitiva do anticristo era proveniente dos escritos veterotestamentários, como por exemplo, o livro “apocalíptico” do profeta Daniel, todavia, não há como negar que tal preceito estava alicerçado principalmente nos ensinamentos de Jesus. Mui provavelmente, a dura acusação e advertência feita por Cristo no capítulo 5 do evangelho escrito por João, seja propriamente, uma das primeiras referências ao anticristo no Novo testamento. Veja o que Cristo asseverou: “Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis”. João 5.43

Confesso que, embora reconheça que não há acordo geral hoje sobre a figura do anticristo, assim como não havia consenso entre os cristãos primitivos, corroboro com a opinião de inúmeros “pais da igreja” e de numerosos intérpretes atuais que sustentam que “aquele que viria no nome de Cristo” é propriamente o anticristo dos últimos dias, descrito pelo profeta Daniel, mencionado no Apocalipse de João e aludido por Paulo em sua segunda carta aos tessalonicenses.


Reconhecendo o “espírito do anticristo”:
O apóstolo João mencionou que o espírito do anticristo já estava no mundo naquela época, e corroborando com isto, alguns intérpretes vão além e pensam que este mesmo espírito já estava presente na época de Ninrode, bisneto de Noé; e para explicarem a origem de tal crença, eles afirmam que na época de Ninrode, na torre de Babel, houve uma tentativa de unir todos os homens em torno de um poder político mundial, entretanto, os planos foram frustrados e os povos divididos em raças, cores e idiomas. Todas as tentativas de se unirem os povos naquela época foram frustradas, mas, o anticristo apocalíptico terá sucesso nesse quesito. Ele terá sucesso onde outros falharam!


Definição do termo:
A expressão anticristo [Do lat. tard. antichristu.] só aparece nas Escrituras nas epistolas de João. Sabe-se que, através de um jogo gramatical (singular e plural), o apóstolo João fez uma distinção entre o anticristo (entendido por muitos como um governante mundial que surgirá) e os “anticristos” (os falsos cristos que surgiriam antes do Ditador mundial). Ainda sobre a definição, é importante observar que O prefixo anti- pode ser usado tanto no sentido de "em vez de" quanto no sentido de "contra".

            Cristo, o messias, quando tabernaculou e habitou nesta terra, agia em unidade com o Pai e não saiu do centro da vontade de Deus (João 5.19), contudo, o anticristo, fará oposição a Deus e tentará usurpar o trono de Deus! (2 Ts 2.4). O reformador suíço João Calvino, ao escrever seu comentário sobre a segunda carta aos tessalonicenses, acertadamente ponderou: “Se, concordantemente, quereis conhecer o anticristo, deveis vê-lo como diametralmente oposto a Cristo..., pois, o anticristo tomaria para si as coisas que pertencem a Deus somente, de modo que se exaltaria acima de toda reivindicação divina, para que toda a religião e todo o culto a Deus estivessem aos seus pés.”.

Outras alusões ao anticristo:
1)    Nero – João Calvino, em seu comentário sobre a segunda carta aos tessalonicenses, rotulou de fábula velha a crença sustentada por muitos, de que Nero seria o anticristo, alguém que fora arrebatado do mundo e destinado a voltar para afligir a igreja através de sua tirania. Tal crença surgiu de uma inferência ao texto bíblico de Apocalipse 13.3 que diz: “E vi uma de suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta”.

2)    Papa Paulo III – Se Calvino acertou por um lado ao rotular de fábula a crença de que Nero seria o anticristo e ressuscitaria no final dos tempos, muito provavelmente ele errou se concebeu que o anticristo seria o papa de sua época. Em seu tratado de 1544 intitulado: “A Necessidade de reformar a igreja”, ele registrou: “Eu nego que a Sé (o trono Católico Romano de autoridade: BLG) seja apostólica, onde nada é visto senão uma impressionante apostasia – nego que o papa seja o vigário de Cristo, o qual ao perseguir furiosamente o evangelho, demonstra por sua conduta que é o anticristo”. (pp. 219,220)[i].

·         Nota pessoal: Acredito que Calvino confundiu o “espirito do anticristo” com o anticristo apocalíptico!

3)    Hitler – Que Hitler é um protótipo do anticristo não há dúvida, entretanto, acreditar que ele ressuscitará é afligirá o mundo é uma fábula.

4)    Papa João Paulo II – Mesmo tendo falecido há mais de uma década, em abril de 2005, ainda há numerosos “estudiosos” que acreditam que  Karol Józef Wojtyła, mundialmente conhecido como Papa João Paulo II é o anticristo, e a mesma crença em volta de Nero e Hitler é aplicada a ele. Muitos acreditam que ele é a besta ferida de Apocalipse 13, e um dia ele ressuscitará!

·         Nota pessoal: Não acho prudente e legitimo o levantamento de hipóteses, precisamos ter em mente que uma das armas do diabo é o engano! É necessário discernir os sinais dos tempos!

Os títulos do Anticristo:
 a) Homem violento - Is.16.4.
b)    Homem do pecado – 2 Ts.2.3.
c)    O príncipe que há de vir - Dn.9.26
d)    O rei do norte - Dn.11.40.
e)    O angustiador - Is.51.13.
f))    O filho da perdição - 2 Ts.2.3.
g)    O iníquo - 2 Ts.2.8.
h)   O mentiroso - 1 Jo.2.22.
i)     O enganador - 2 Jo.7
j)      A besta - Apc.11.7; 13.1,7.
k)    O rei feroz - Dn.8.23-25.


O propósito do anticristo: Destruir os santos, os eleitos de Deus!


Os métodos do anticristo:
a)    Ele irá enganar com mentiras. Apocalipse 17 afirma que ele é um falso profeta! Você já parou para pensar no poder destruidor da mentira? Lembra-se da serpente que enganou Eva com o seu discurso? Pois, bem, o anticristo será um orador hipnotizante!  Certo teólogo sabiamente afirmou: “O evangelho do anticristo será o humanismo – a felicidade do homem, a glória do homem, a paz e a prosperidade, a saúde e a riqueza do homem!”.
b)    Ele realizará sinais e com isso alegará ser o ungido de Deus! 2 Ts 2.9


O dever dos eleitos:
Como salvos e eleitos pelo Senhor temos o dever de alertar, pregar e combater o “espírito do anticristo” que está nitidamente em nosso meio. Mas, também devemos vigiar para não sermos ludibriados pelas astucias do diabo.


A incontestável derrota do anticristo:
Através das Escrituras, temos certeza de que o “sucesso” do filho da perdição será apenas momentâneo, pois, como o apóstolo Paulo disse: “o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda”. ( 2 Ts 2.8)
Hosanas!!! Glórias ao altíssimo Rei Jesus!

Pr. Sylas Neves








[i] (Select Works of John Calvin, Volume 1, Parte 1, Tratados, Baker: 1983)

Um comentário:

Elias chaves disse...

linda mensagem pastor Sylas Neves