18 de novembro de 2008

OS PROTESTANTES, A HOMOFOBIA E O BATISMO




(Sylas de Souza Neves) em 14 /11/2008

No dia 11 de novembro de 2008 às 22:30 hs, acompanhei um debate televisivo sobre o projeto de lei 5003/2001 (PLC 122/2006) que além de alterar a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989 (lei que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor), propõe a criminalização da homofobia, que em linhas gerais é a aversão a homossexuais e /ou homossexualismo.

No acalorado debate, pude contemplar a severidade do assunto e, principalmente a ansiedade por parte de ‘alguns’, que diga de passagem, são minoria, em ver tal projeto de lei aprovado pelo Senado Federal. Na ânsia por conquistar tamanha ‘vitória’, um dos defensores deste projeto, cometeu a aberração de dizer “... Se DEUS quiser o projeto de Lei será aprovado!”.

Como pode Deus, que desde o principio da humanidade se mostrou totalmente adverso à prática homossexual (e não aos homossexuais), querer que um projeto de lei como esse seja aprovado? Se este projeto for ou não transformado em lei, Deus não têm nada a ver com isto, pois mesmo Ele sendo soberano, não interfere no livre-arbítrio do homem.

No transcorrer do debate, como era de se esperar, foi levantada a polêmica da Igreja Evangélica poder batizar ou não: - os gays, as lésbicas, os bissexuais, os travestis ou os transexuais e, infelizmente, os três representantes evangélicos no programa, ‘escorregaram’ em não ratificar a impossibilidade de um desses indivíduos serem batizados em água.

Mediante a este ‘escorregão’ e, por ver citado o nome da Assembléia de Deus, denominação da qual faço parte, transcrevo nas próximas linhas a minha opinião (centrada na Bíblia e no estatuto da Igreja) sobre os protestantes, a homofobia e o batismo.

Em primeiro lugar, como cristão não posso me conformar com a depravação moral encontrada neste mundo, neste sistema (Romanos 12:2). Estou impressionado com o comodismo por parte até mesmo dos evangélicos, em ver tantas aberrações sendo cometidas e, a grande maioria nem se opõe.

Desde pequeno aprendi que: quem cala consente; todavia, Deus não nos chamou para o conformismo e muito menos para sermos influenciados por uma geração pervertida; geração esta que dia após dia vem se afastando de Deus. A não conformidade com este mundo, inclui o reconhecimento de que o sistema mudando é perverso (Atos 2:40b) e este século é mal (Gálatas 1:4).

Como atalaias de Cristo e porta-vozes de seu Reino devemos protestar contra as formas libertinas de proceder deste mundo; precisamos proclamar as verdades eternas e os padrões de comportamentos justos contidos na Palavra de Deus. É necessário amar o que Deus amou e abominarmos o que Ele abominou (Romanos 12:9; Apocalipse 2:6; Hebreus 1:9; 1João 2:15-17).

Não podemos ceder aos vários tipos de mudanismo que estão rodeando a igreja de Cristo.
Biblicamente, o homossexualismo é o resultado evidente do abandono de Deus a esta sociedade obcecada pela imoralidade e perversão sexual: “Pelo que também Deus os entregou às concupiscências do seu coração, à imundícia, para desonrarem o seu corpo entre si”. (Romanos 1:24) Na linguagem de hoje este texto bíblico diz: “Por isso Deus entregou os seres humanos aos desejos do coração deles para fazerem coisas sujas e para terem relações vergonhosas uns com os outros[I]”.

Como amante e militante da Palavra de Deus devemos ratificar que a Bíblia é a nossa regra de fé e, seus princípios fundamentais são inquestionáveis e inegociáveis. Apesar de lançarmos mãos de argumentos psicológicos, científicos, sociológicos e éticos, a Bíblia é e continuará sendo a nossa principal fonte de compreensão e conseqüentemente, ela será a nossa última palavra. (SOLA SCRIPTURA)

Como protestante reitero que a pratica do homossexualismo é teologicamente inaceitável (Romanos 1; I Coríntios 6:9-11). A Bíblia é claríssima ao classificar o homossexualismo como uma perversão da natureza, uma iniqüidade e um gravíssimo erro do qual o ser humano precisa se arrepender.

Desde o inicio da humanidade, Deus criou macho e fêmea: ”E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; MACHO e FÊMEA os criou” (Gênesis 1:27). É importantíssimo salientar o fato de Deus utilizar os substantivos: MACHO (animal do sexo masculino, homem) e FÊMEA (qualquer animal do sexo feminino, mulher). Deus não criou seres: gays, lésbicos, bissexuais, travestis ou transexuais.

No Antigo Testamento, a pratica do homossexualismo é considerada por Deus como algo abominável: “Com varão te não deitarás, como se fosse mulher: abominação é” (Levitico 18:22) e nojento[II]: “Se um homem tiver relações com outro homem, os dois deverão ser mortos por causa desse ato nojento; eles serão responsáveis pela sua própria morte”. (Levitico 20:13)

Infelizmente, os defensores desta abominação, inclusive alguns pseudo-s – pastores, declaram que a proibição contra esta pratica é restritamente direcionada ao contexto legislativo do Antigo Testamento, não estando em vigor nos dias atuais, entretanto, a proibição da pratica homossexual à luz do Novo Testamento, não é um preceito meramente da Velha Aliança: “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os EFEMINADOS, nem os SODOMITAS, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus”. (1Coríntios 6:10)

Uma das definições dada a EFEMINADOS pelo dicionário Aurélio é: homem que adota a aparência feminina, ou é dado a modos, maneiras, etc., femininas, adamado, homossexual. Já o termo SODOMITA no grego, arsenokoítai, significa: aquele que se deita com a pessoa do mesmo sexo, portanto, tanto a antiga, quanto à nova Aliança condena as práticas do homossexualismo.

Há aproximadamente dois anos atrás me deparei com uma reportagem com o seguinte tema: Luteranos Propõem que Homossexuais Praticantes Sejam Ordenados como Pastores, eis a reportagem[III]:

CHICAGO, 13 de abril de 2005 (LifeSiteNews.com):

A Igreja Evangélica Luterana dos EUA (ELCA) elaborou uma resolução recomendando a ordenação de pastores ativamente homossexuais -- contanto que eles vivam seus relacionamentos sexuais com compromisso. Até agora, os homossexuais só podiam ser ordenados para o ministério ativo se abstivessem de relações sexuais.

A resolução foi apresentada em assembléia da ELCA na segunda-feira. A resolução exige ratificação mediante voto em ampla assembléia planejada para agosto.

Um grupo especial de trabalho que estudou a questão fez três recomendações que serão votadas na assembléia de agosto. Uma recomendação pergunta se a ELCA "continuará sob os padrões atuais" de proibir "pastores solteiros" de ter relações sexuais -- "definindo casamento como entre um homem e uma mulher -- mas, em respeito à consciência dos que acham esses padrões em conflito com a missão da igreja, a ELCA poderá escolher não disciplinar os pastores gays e as pastoras lésbicas que vivem em relacionamentos marcados por compromisso. A isenção da disciplina poderá também se estender aos que pedem ou aprovam casais gays no ministério".

Carlos Pena, vice-presidente da ELCA, declarou: "Por amor a nossas campanhas de evangelização e ao ministério pastoral, precisamos criar oportunidades para que candidatos que estão vivendo num relacionamento de compromisso sejam ordenados e sirvam no ministério em locais específicos".

Ao ler esta reportagem fiquei boquiaberto, entristecido e decepcionado com fato de ver uma igreja que leva o nome de um dos maiores reformadores da história, se corromper a esse ponto. Será que a Igreja Luterana se esqueceu de que Lutero era totalmente contrario a homossexualidade? A despeito disto, veja o que ele dizia:

“O vicio dos sodomitas é uma barbaridade sem paralelos... A sodomia deseja o que é totalmente contrário à natureza. De onde vem essa perversão? Sem dúvida vem do diabo[IV]”.

Tristemente, este tipo de depravação moral não está restrito apenas a Igreja Luterana, há informações precisas de um caso na Presbiteriana e outro na Comunidade Metropolitana de Fort Lauderdale EUA; até mesmo a Igreja Batista da Carolina do Norte que condena abertamente a sodomia, realizou um ‘casamento’ de homossexuais. E segundo o pesquisador Júlio Severo: “... A Igreja Unida já aceita pastores homossexuais e a Igreja Episcopal está debatendo a questão[V]”.

No Brasil, o assunto ganhou um impulso maior com a tramitação do Projeto de Lei 5003/2001, que já foi aprovado na Câmara dos Deputados em 2006 e, atualmente está sendo discutido pelo Senado Federal. Algumas denominações já estão se movendo em relação a este projeto de lei, quer seja pelo lado espiritual (oração e consagração), como também pelo lado jurídico (estatutos e regimentos).

Quanto a homofobia, a Igreja Evangélica e, principalmente a Assembléia de Deus (igreja da qual sou ministro) têm uma postura bem firme quanto à questão da homossexualidade:

a) Nós abominamos a prática da homossexualidade pois ela é pecado, mas exercemos amor para com o próximo, seja ele: homossexual, ladrão, fornicador, mentiroso, etc; tais pessoas são carentes de amor e respeito e, devem ser acolhidas com compaixão;
b) Nós abominamos qualquer tipo de preconceito e atitude discriminatória, pois devemos amar o próximo como a nós mesmos, portanto, vale a frase, amamos o pecador, assim como Deus o ama, mas não amamos o pecado;
c) Consideramos os homossexuais pecadores tanto quanto os que estão no seio da igreja e são: - mentirosos, maldizentes, devassos, idólatras, adúlteros, ladrões, avarentos, beberrões, etc (1Coríntios 6:9-10), por isso, não podemos deixar de falar ao pecador, seja ele um homossexual ou não, que “...o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Romanos 6.23), abordando a graça de Deus para com todos os pecadores;
d) Nós não somos homofóbicos e nem preconceituosos. As portas de nossas igrejas estão abertas para todos os indivíduos que querem se libertar destes infortúnios que lhes causam aflições na alma. A verdade que pregamos é absoluta, redentora e transformadora: “...e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. (João 8:32) “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres”. (João 8:36) E esta verdade não é uma lei nacional, mas uma ‘lei’ universal – Jesus, “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim”. (João 14:6) e, “...nada podemos contra a verdade, senão pela verdade”. (2Coríntios 13:8)

Finalmente, vamos analisar a questão do batismo de homossexuais.

Primeiramente, deve-se desmistificar o batismo, ou seja, se um pecador, seja ele homossexual ou não acredita que, pelo simples fato de passar pelas águas, cumprindo apenas uma das ordenanças de Cristo (Marcos 16:16), ele garante a sua salvação; este indivíduo está redondamente enganado e deve rever os seus conceitos ‘teológicos’, pois, biblicamente, o batismo deve ser aplicado a pessoas salvas (convertidas), e não a fim de salvar os perdidos. Tal comprovação pode ser verificada nas epistolas de Paulo que jamais associaram o batismo à salvação. Exemplificando, em 1Corintios 1:17, Paulo disse que Cristo o havia enviado: “não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã”. Portanto, apesar do “batismo ser importante à vida cristã, ele não é porém, elementar à salvação[VI]”.
Para não deixar dúvidas quanto ao suposto valor ‘salvífico’ do batismo, transcrevo nas próximas linhas, o comentário apologético do Instituto Cristão de Pesquisas acerca de Marcos 16:16:

“Em oposição aos grupos que atribuem ao batismo um valor salvífico, observarmos claramente que o texto não diz que o batismo salva. Tanto é assim que afirma: “quem não crer será condenado” e não “quem não for batizado”. O ladrão da cruz não foi batizado, mas creu em Cristo e foi salvo (Lucas 23:43)

O batismo é apenas um ato exterior do que já aconteceu no interior da pessoa. Não tem poder de conferir nenhuma graça, antes é uma simbologia da nossa identificação com Cristo perante o mundo (RM 6.3; CL 2.12). Não pode ser equiparado a fé como quesito indispensável para a salvação, porque a fé não está vinculada a nenhuma obra de natureza humana...”“.

Quanto a Atos 2:38, o texto nos diz: “...arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”. Portanto, como pode se notar, um dos requisitos para se batizar é o arrependimento, ou seja, para um homossexual ser batizado, ele precisa arrepender-se dos seus pecados e converter-se num novo homem, nascido da água e do Espírito. (João 3:5)

A Conversão é uma mudança e transformação de vida, atitudes e comportamento, e a respeito de tais mudanças, Paulo disse em sua carta aos Efésios:

“...quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem, que, segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade”. “Pelo que deixai a mentira e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros”. “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira”. “Não deis lugar ao diabo”.
“Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade”.
“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem”. “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o Dia da redenção”. “Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia seja tirada de entre vós”.
(Efésios 4:22-31)

O que Paulo estava dizendo é que o convertido (despido do velho homem), torna-se um cristão absolutamente novo e diferente do ser humano natural; por isso, não basta apenas abandonar as práticas imorais e irracionais do ‘velho homem”, mas colaborar de todas as maneiras para a transformação desse século decaído e destinado a destruição. Quem furtava ou extorquia, não faça isso mais; quem mentia, que passe a falar a verdade; quem dava lugar ao diabo, agora dê lugar ao Espírito. Isso é conversão, por conseguinte, aquele que praticava a homossexualidade, que passe a praticar a heterossexualidade matrimonial.

Deixando um pouco de lado a questão teológica / bíblica, e partindo para as questões jurídicas; a Igreja Evangélica Brasileira, em especial a Assembléia de Deus, como organização religiosa, se organiza e se rege por um Estatuto, um Regimento Interno e por Resoluções aprovadas pela Diretoria e Conselhos Departamentais, observados os princípios espirituais e doutrinários da Bíblia Sagrada.

E sendo assim, de acordo com o Regimento Interno[VII] da Assembléia de Deus de Belo Horizonte, igreja que compartilha das regras de fé e práticas doutrinarias das demais Assembléias de Deus no Brasil, o batismo de um homossexual confesso é inaceitável, como pode ser perceber no:

Titulo II - DA COMPOSIÇÃO DA IGREJA / Capítulo I - DOS MEMBROS / Seção I - Da Admissão

Art. 5º. Somente será levado ao batismo o candidato que, possuindo bom testemunho público, solicitar sua integração ao quadro de membros da AD, através do preenchimento e protocolo de requerimento próprio, expedido pelo Departamento de Secretaria Geral.

§ 1º. No requerimento de integração à membresia, o candidato declarará professar a Bíblia Sagrada como regra de fé e manifestará expressa concordância às normas estatutárias, regimentais e princípios espirituais adotados pela Igreja.

§ 2º O bom testemunho público será verificado pelo ministro local, examinando as condutas morais, cívicas e espirituais do candidato, especialmente quanto à observância dos preceitos elencados na Bíblia Sagrada, no livro de I Co 5.11 e 6.9-11.

§ 3º Nenhum candidato será levado ao batismo sem a aprovação da Igreja local.

Portanto, um homossexual somente poderá se batizar, se ele confessar as suas transgressões e deixar de praticá-las (Provérbios 28:13); ter bom testemunho público; reconhecer publicamente a Bíblia com regra de fé e conduta; concordar inteiramente com o estatuto, o regimento interno e os princípios espirituais seguidos pela Igreja; e nunca se esquecer de que: os devassos, os idólatras, os adúlteros, os efeminados, os sodomitas, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os maldizentes, os roubadores não herdarão o Reino de Deus (1Coríntios 6:10)

Que a graça de Deus sempre superabunde em nós!

Pr. Sylas de Souza Neves

[I] Bíblia NTLH (Nova tradução da Linguagem de Hoje)
[II] Idem
[III] Autor: Traduzido e adaptado por Julio Severo: juliosevero@hotmail.com Fonte: LifeSiteNews.com
[IV] Frase extraída do livro: O MOVIMENTO HOMOSSEXUAL, de Júlio Severo, editora Betânia, p. 76
[V] “Los Homosexuales Militantes em las Iglesias.” Escoge la Vida. Setembro/Outubro de 1993, Miami, FL-EUA.
[VI] Frase extraída da Bíblia Apologética, do ICP, p. 1146
[VII] Regimento interno da Assembléia de Deus – Ministério de Belo Horizonte, p. 13

8 comentários:

Sergio Luiz Soeiro Pinto disse...

Parabens Sylas, fantástico. Peço a Deus que muitos possam ler o que li. Que o Senhor e Salvador de nossas vidas continue te abençoando cada vez mais.

pulpitocristao disse...

Parabéns pelo blog e pela relevância dos artigos. Estarei enviando o link para mus contatos via e-mail.

Abraço;

Leonardo G. Silva - Th.M.
Dono do blog PULPITO CRISTÃO

Márcia Gomes disse...

Olá Pastor

Estou só fazendo uma visitinha, mas voltarei para ler melhor as postagens!
Deus te abençoe!!!!

Wanderson disse...

Parabéns Pastor Sylas pelo excelente texto. Raciocinando sobre o que o senhor escreveu fico imaginando a bancada evangélica no senado o que eles andam fazendo para resguardar o nosso evangelho. Quem dera ainda tivessemos profetas com Jeremias que não se calava perane o Rei mas dizia: "assim diz o Senhor". Sou presbitero da assembléia tambem e se um dia chegar a ser pastos posso ser preso a ter que fazer um casamento homossexual.

um colega meu disse uma vez: se Deus fosse a favor do homossexualismo ele teria criado Adão e Ivo

Joe disse...

POR FAVOR PARE DE ENVIAR SPAM. NAO SOU EVANGELICO, NAO ME INTERESSO POR ESSE ASSUNTO E NAO QUERO RECEBER MAIS EMAILS. OBRIGADO

Julio Caldeira disse...

A paz do Senhor, Pastor Sylas Neves, congratulo pelo seu Blog, e o assunto é de muita importancia para que todos possam entender a vontade do Senhor, e a vontade é que todos tenham o conhecimento da verdade e se salvem (I Tm 2.4) e é necessário e imprecindivel que fale a Verdade "A Palavra do Senhor". Parabéns pela abordagem do assunto.

Amém.

Julio Caldeira
www.juliocaldeira.blogspot.com

Reinaldo Carlos da Silva disse...

Paz de Deus e do Senhor Jesus,
Com certeza estamos prestes a ver o arrebatamento, devido a esses e outros absurdos, mas isso é motivo para divulgarmos o evangelho e parar-mos de ser despercebidos pois é inaceitavel que pessoas que se dizem crentes votem em pessoas que defendem essas praticas!

silktibra disse...

Pr. Sylas,
A paz do Senhor!
Tive a honra de ouvir o senhor pregando na Igreja Batista Templo de Adoração, do Pastor Alex, da qual sou membro. Como Deus o usa! Glória a Deus! Estou orando pelo senhor e sua família.