25 de maio de 2010

Uma carta de Erasmo aos amantes da teologia da prosperidade


O humanista católico Erasmo de Roterdã (1469-1536), identificou uma atitude distorcida na liderança dos seus dias ao menosprezarem a noção de sacríficio:

"Fazer milagres é velho e antiquado, não está na moda; ensinar o povo dá muito trabalho; interpretar a Bíblia é pedante; orar é sinal de que não se tem mais o que fazer; derramar lágrimas é tolice e próprio de mulher; ser pobre é ignóbil; ser vencido, densorado e desprezado torna como aquele que mal admite que os reis lhe beijem os chinelos; e por último, morrer é incivilizado; e ser estendido em uma cruz é infame."

(Extraído do livro: Elogio da Loucura)

Obs. Modestamente, este texto direcionado por Erasmo ao clero e particularmente aos papas, bem que poderia chegar nas mãos e principalmente nos 'corações' dos amantes e propagadores da teologia da prosperidade.


3 comentários:

francisco disse...

muito bom

www.exejegues.blogspot.com

joel p. lucas disse...

QUE DEUS TENHA MISSERICORDIA DE NÓS

sylasneves disse...

Olá Francisco e Joel,

Grato por vossa participação!