9 de fevereiro de 2010

Não venda a primogenitura!



Obs. Texto extaído do livro: Memórias Póstumas dos Protestantes

E ninguém seja fornicador ou profano, como Esaú, que, por um manjar, vendeu o seu direito de primogenitura. Hebreus 12:17

Ao se associar à história de Esaú com a história de inúmeros “líderes” evangélicos da atualidade, pode-se deduzir que, tais “líderes” tratam a “primogenitura” com o mesmo descaso com que Esaú tratou este direito no passado.

O relato de Gênesis mostra-nos que, por uma necessidade efêmera, Esaú trocou o direito à primogenitura por um guisado de lentilhas, demonstrando que, valorizava mais o momentâneo do que o vindouro e, apreciava mais o material do que o espiritual.

Esaú, talvez num ato impensado e precipitado, obteve a satisfação do que ele queria no momento, mas, infelizmente, perdeu aquilo que tanto almejou e tentou recuperar no futuro. Por um instante, ele obteve uma vantagem material temporã, mas jogou fora inúmeras vantagens materiais e espirituais vindouras.

Segundo a Bíblia, o direito de primogenitura, dava ao filho mais velho, o privilégio de herdar uma porção dobrada dos bens paternos, depois da morte destes; também dava o direito de exercer o sacerdócio sobre a família e, no caso de Esaú, por ser ele o primeiro neto de Abraão, a primogenitura ainda incluía o direito de ficar na genealogia direta do Messias. Mas, apesar de tantos direitos, a descrição de Gênesis 25:27-34, nos revela que Esaú não deu importância a estas coisas, e até ironizou: “... Estou a ponto de morrer; de que me aproveitará o direito de primogenitura?”.

Esaú, após jurar tola e precipitadamente, trocou a sua primogenitura por um guisado de lentilhas. Certamente, naquele momento, ele se esqueceu de que, sendo o primogênito, bastava pedir para que alguém lhe preparasse algo para comer. Todavia, o mais triste, é o relato final que a bíblia deu a esse episódio: “... Jacó deu pão a Esaú e o guisado das lentilhas; e ele comeu, e bebeu, e levantou-se, e foi-se. Assim, desprezou Esaú a sua primogenitura”.

Infelizmente, este triste fato ocorrido há aproximadamente 3800 anos atrás, pode ser facilmente notado nas denominações evangélicas de nossos dias. Entretanto, antes de se fazer tal contextualização, é importantíssimo se estabelecer (de um modo alegórico) um paralelo entre, o significado atual do “guisado de lentilhas” e de primogenitura.

Hoje, tal como no passado, “guisado de lentilhas” fala das nossas necessidades e vontades do presente e, primogenitura fala de heranças e benefícios oriundos do futuro.

No sermão da montanha, o próprio Jesus citou algumas necessidades que temos no presente: – comida, bebida e vestimenta. Ele sabia que, todo o ser humano, possui estas necessidades e preocupa-se com elas. Porém, Ele foi categórico ao afirmar que, não precisamos andar inquietos, dizendo: “... Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? (Porque todas essas coisas os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas”. (Mateus 6:31,32)

Em suma, Jesus estava dizendo que não precisamos nos precipitar em adquirir a solução imediata para as nossas necessidades do presente, ou seja, o nosso “guisado de lentilhas”, pois, Deus sabe que necessitamos dele para sobreviver, contudo, cabe a Ele e não a nós, prover tal “guisado”. E no mais, a exemplo de Esaú, não precisamos trocar a nossa herança por nada, pois, somos herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo (Rm 8:17), portanto, basta pedir e nosso pedido será atendido (Mateus 7:7).

Quanto a nossa “primogenitura”, a bíblia nos diz que, se somos de Cristo, somos herdeiros e, como herdeiros, temos direitos a certas regalias, a saber: 1) porção dobrada de bens (cem vezes tanto e herdará a vida eterna – Mateus 19:29). 2) Somos da genealogia de Cristo, pois pela promessa somos descendentes de Abraão (então somos da descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa – Gálatas 3:29). Teremos supremacia sobre os demais (Eu lhe darei poder sobre as nações – Ap 2:26). Comeremos da árvore da vida (Ap 2:7). Não sofreremos o dano da segunda morte (Ap
2:11). Comeremos do maná escondido, e receberemos uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito (Ap 2:17). Vestiremos vestes brancas, e de maneira nenhuma teremos o nosso nome riscado do livro da vida; e nosso nome será confessado diante de Deus e diante dos seus anjos. (Ap 3:5). Assentaremos no trono (Ap 3:21), etc.

Como se pode notar, a benção da primogenitura é um direito de todo cristão, mas, lamentavelmente, muitos crentes e, principalmente líderes eclesiásticos da pós-modernidade, estão vendendo o seu direito à primogenitura e como nos diz o escritor aos hebreus, estão se tornando fornicadores e profanos.

Particularmente, conheço alguns líderes que estão trocando a sua primogenitura por uma carteirinha de Convenção ou por uma credencial de diácono, presbítero, evangelista ou pastor. Estão vendendo a herança de Deus por coisas fúteis e efêmeras. Pelo medo de perder suas credenciais, suas agendas, seus “ofícios” e principalmente seus salários de “pastores”, estão trocando até mesmo o caráter cristão por um “guisado de lentilhas”.

Há alguns anos atrás, a venda de primogenitura por parte de um pastor, causou sérios estragos ao rebanho de Cristo. Segundo contam, este “líder” por já ter certa idade avançada, sujeitou-se a coisas tão baixas, simplesmente para não fazer parte da lista dos “desempregados”.

Aqui cabe uma indagação: – Por que um pastor, que durante décadas ensinou para o seu rebanho que, o justo vive da fé e, que ele não fica desamparado e nem a sua descendência mendiga o pão; vendeu sua herança por um simples salário e um simples titulo de pastor regional?

Como pode, um homem que se diz cristão perder sua dignidade, ter seu caráter colocado em xeque e quase perder sua família; ficar na inércia e não procurar seus
direitos legais, simplesmente para não perder seus benefícios como pastor de uma “grande” denominação?

Á semelhança de Esaú, este e muitos outros líderes estão desprezando o direito de primogenitura, ou seja, estão trocando a herança por um simples “guisado de
lentilhas”, esquecendo-se das palavras de Cristo: “... trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou” (João 6:27).

Atualmente, existem inúmeros “líderes”, trocando a sua primogenitura por uma vida de promiscuidade e adultério e, infelizmente, tais pessoas estão convencendo centenas de pastores, presbíteros e dirigentes locais a também fazerem o mesmo, pois, a conivência também é pecado.

Quem troca a sua primogenitura por um “guisado de lentilhas” é tolo e não tem temor. (Salmos 111:10). Quem vende a sua herança está deixando de ser participante da mesa do Senhor para ser participante da mesa do demônio. (1 Co 10:21). Quem vende a sua primogenitura por um manjar, desconhece o Deus de Paulo que, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus. (Fp 4:19) Quem troca a sua primogenitura, recuou e, aquele que recua, a alma de Deus já não tem prazer nele. (Hb 10:38) Quem vende a sua herança, assemelha-se ao filho pródigo, pois está trocando o útil pelo supérfluo, o eterno pelo momentâneo, as regalias pelas bolotas que os porcos comem.

Cristo, ao ensinar a oração do Pai-Nosso disse que, Deus sabe antes de pedirmos o que nos é necessário (Mateus 6:8).

Aquele que busca em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, jamais troca a sua herança por: credenciais, agendas, ofícios, cargos de diretoria, status, salários ou prebendas, pois sabe que, o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo (Rm 14:17).

Certa vez, um destes profanos, disse-me que, para conseguir chegar a pastor na sua denominação, eu teria que seguir o exemplo de Pedro que, no meio dos judeus era contra os gentios e, no meio dos gentios era contra os judeus, ou seja, no meio do povo, eu deveria ter uma postura e nos bastidores outra. O que aquele fornicador
não sabia era que, naquele momento, eu seria imitador de Paulo e não de Pedro. “... lhe resisti na cara, porque era repreensível”. (Gálatas 2:11) Como herdeiro de Deus e co-herdeiro de Cristo, tenho que andar na luz como Cristo andou (1 Jo 2:6).

Para este e quaisquer outros lideres, quero deixar expresso a seguinte indignação: MINHA PRIMOGENITURA NÃO ESTÁ À VENDA! “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma?” (Mt 16:26).

O temor a Deus e a sensatez, não deixa escapar das nossas mãos a herança que Deus tem para as nossas vidas. A primogenitura é nossa e, foi por Cristo conquistada na cruz, portanto, sigamos o exemplo de Daniel que não trocou a sua herança pelas iguarias e pelo vinho do rei; aprendamos como Eliseu a não aceitar as oferendas
de Naamã e procedamos como o filho pródigo arrependido que, se levantou, abandonou o “guisado de lentilhas” e tomou posse novamente da sua herança...

Não venda a sua primogenitura.

Um comentário:

martins111 disse...

Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/