5 de fevereiro de 2009

Perguntas, Comentários e Respostas sobre a minha ida à Igreja Católica





1. O irmão Renato Ferreira da Comunidade do Pr. Ciro Sanches Zibordi disse:

Pr. Sylas, sou assembléiano e belemita. Não vejo nada contra um pastor evangélico aceitar um convite para pregar a Palavra de Deus num evento como esse.

Acho, por exemplo, que o Apóstolo Paulo não perderia essa oportunidade. Vá, em nome de Jesus, e pregue a mensagem de Cristo.

Resposta de n° 1.

Prezado, irmão Renato, Graça e Paz sobre sua vida!

Também sou assembléiano e como tal, uma de minhas primeiras atitudes diante desse convite, foi comunicar com a liderança da Igreja (Pr. Regional Luís Cláudio) sobre a minha ida na ICAR; e a exemplo do sr. a direção da igreja não se opôs a isto, pelo contrário, me incentivou a não perder tal oportunidade.

Como estudante da Palavra, não somente acho, mas tenho certeza, que Paulo também não perderia essa oportunidade; bem como também Cristo, que ordenou: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. (Marcos 15:16)

Obrigado pela participação!


2. Um irmão da Comunidade do Pr. Ciro Sanches Zibordi que se identifica como Pr. Jair opinou:

Com certeza não tem como recusar esta oportunidade de falar do amor de Deus, verdadeiramente na integra, aos formandos e presentes no local.

Conheci um pastor de Minas Gerais que era padre na cidade de Governador Valadares. Ele mesmo testemunhando a sua trajetória nos disse; quando era vigário de uma paróquia num determinado bairro de Valadares, sempre convidava um obreiro de uma igreja evangélica local a assistir uma missa na sua igreja. A sua alegação era de que o obreiro evangélico só convidava os membros da sua igreja para ir à dele, mas disse que tal mudar um pouco de localidade e você ir à minha igreja católica, lá te darei uns dez minutos de oportunidade para falar do amor de Deus. Foi só o tempo que precisou este homem de Deus, para ministrar a palavra profética.

Num determinado domingo na igreja católica lotada de membros; segundo o pastor que era padre na época, tinha mais ou menos umas quatrocentos pessoas no local. Ele na sacristia colocando sua batina para a missa deparou-se com o obreiro que disse: - Olá padre eu vim conforme seu convite assistir e dar uma palavra para sua igreja! o padre disse que quase caiu das calças, pois achou que este irmão jamais íria na igreja católica. No final da missa o padre se levantou e disse à igreja que tinha um convidado que era crente, e que daria a ele dez minutos da palavra.

Pois bem, o obreiro de Deus abriu a bíblia no livro de JO 8:32 "E conhecereis a Verdade e a verdade voz Libertará", somente, isto foi o necessário, o amado não precisou pregar contra as imagens e nem contra a idolatria, só falou do amor de Deus. Foi 200 (Duzentas) almas que se renderam ao Senhor Jesus, inclusive o padre.
Por isso que concordo com esta oportunidade. Não devemos perder tempo, Jesus Está Voltando!

Resposta de n° 2.

Prezado pr. Jair,
A paz do Senhor!

Que testemunho maravilhoso! É isto que Jesus faz!
Para falar da Verdade, não precisamos usar de outras verdades (atacar a idolatria, etc). A Verdade suprema já basta!

3. Um irmão do orkut, que se identifica com Kerux Enteu também da Comunidade do Pr. Ciro Sanches Zibordi disse:

... PREGAR ANTE IMAGENS DE ESCULTURA??? Vale uma pregação ante ídolo? E se acontecer de que lá na igreja católica aconteça algo como aconteceu com outro pastor presente numa festa de casamento, em que o padre disse: Estamos TODOS aqui, ante Maria adorando-a, e pedindo a sua graça e intercessão a Deus.... e o nosso irmão lá arrolado também entre os "adoradores" de Maria.... pensem.

Eu não iria na igreja católica pregar, mas iria em outro evento extra igreja.

Já recusei cantar na Catedral da Sé com o coral da Ass. de Deus, quando cantava nele. Jamais prestaria meu culto ante imagens de escultura.

Resposta de n° 3.

Prezado Kerux,

Se acontecesse comigo algo parecido com o que foi dito por você, o padre ficaria em maus lençóis, pois, sem titubear, me levantaria e diria: - Não estou aqui diante de Maria e, muito menos a adorando ou pedindo a ela graça e intercessão a Deus, pois, além dela está morta, a mesma não outorga graça e nem é intercessora de homem algum. Palavra de Salvação (rsrs)

1TM 2:5 - Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.

Vale o adágio: “Quem fala o que quer, ouve o que não quer!”.

Obs. Se o referido pastor não fez isto, ele está precisando ler mais a Bíblia, e especialmente as cartas de Paulo, Pedro e a epistola de Judas. (cartas que ensinam a defender a genuína fé dada aos santos).

4. O irmão Gil Ferreira da Comunidade Apologética Cristã Evangélica sugeriu:

Pr. Sylas, não o Malafaia, tenho uma sugestão:

Faça uma retrospectiva histórica da furada em que a ICAR colocou o Cristianismo, judaizando o evangelho, criando novos ritos e obrigações que não existem nem na Lei de Moisés. Ainda de quebra poderá falar da queima da biblioteca cristã e do impedimento milenar do POVO em conhecer a PALAVRA DE DEUS.
E aí o que acha???? HEHEHEHEHEHEHE

Resposta de n° 4.

Irmão Gil, Graça e Paz!
Apesar da sua coerência histórica, não seguirei a sua sugestão, por vários fatores, dentre eles:

Primeiro. Tudo tem o tempo determinado, ou seja, jugo que um culto de formatura, não é apropriado para se falar da história da igreja e, principalmente a parte negra desta história.

Segundo. Esta oportunidade é única, por isso, quero aproveitá-la ao máximo para anunciar o Evangelho (Novidade de Vida)

Terceiro. Quanto ao conteúdo que vou ministrar lá, estou buscando de Deus, não pretendo sair ofendendo a postura e a história macabra da ICAR, apenas gostaria que Deus me desse um discurso tal como o de Paulo no areópago e o de Estevão diante dos seus assassinos.

Todavia, obrigado pela participação. (sei que no meu lugar, você também faria o mesmo)

5. O irmão Marcelo um dos moderadores da Comunidade Apologética Cristã Evangélica disse:

Trata-se de uma formatura, ok? Então, fale do amor de Cristo, de sua graça - apresente o Evangelho como sendo uma dádiva de Deus aos homens. Demonstre os males da religiosidade fria, legalista e baseada em boas obras... Fale de como Cristo Reina e chama os homens a dedicarem seus talentos em Seu Reino - que não se limita a Igreja.

Demonstre que muitos deles podem estar com um 'deus desconhecido' em seus panteões particulares... Um vazio enorme, que as vezes tentam preencher com drogas, outras vezes com sexo; em outras com pornografia, violência...

Ou seja, a Bíblia contém a resposta para todas as "questões últimas" da vida! Portanto, PREGUE-A!

Já atendi a convites parecidos e jamais comprometi a minha confissão de fé e nem a minha apologia. Pregar em tempo e fora de tempo não é ecumenismo... ecumenismo é que andam fazendo nos bastidores...

Resposta de n° 5.

Irmão Marcelo, A Paz do Senhor!

Sua opinião expressa a coerência bíblica que todo cristão deveria utilizar. O Reino de Deus sempre deve estar em primeiro lugar, e o evangelho deve ser pregado em tempo e fora de tempo, pois, ele ainda é e continuará sendo o: “o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego”. (RM 1:16)

Sua participação foi de grande valia para mim.
Fica na Paz!

6. O irmão Cláudio de Almeida também da Comunidade Apologética Cristã Evangélica argumentou:

O Cristão deve está preparado para cumprir o ide de Jesus onde ele for enviado, se um pastor evangélico ou qualquer outro crente em Jesus, vai a um templo Católico e
prega a Palavra sem compactuar com aquilo que a Igreja Católica faz de errado qual
o problema ? Jesus se assentou entre os publicanos e pecadores e ministrou sua palavra entre eles sem praticar ou concordar com o que eles faziam, um pastor não pode rejeitar nenhum convite para pregar em nenhum lugar, onde ele for convidado ele tem que ir se for convidado para pregar num Centro Espírita, creio que deva ir também, deve primeiro portanto orar, buscando direção de Deus, mas acho que seria
da vontade de Deus um pastor pregar nesses lugares. Pois ele deve ir onde está o pecador e onde estão às almas sedentas de conhecer a verdade que liberta. Isso para mim não é ecumenismo, ecumenismo para mim e quando cultuam juntos, mas comungam juntos da Santa Ceia, sendo religiões diferentes comungam do mesmo batismo, partilham dos mesmos pontos doutrinários entre si e que ferem os ensinamentos bíblicos e a fé evangélica.

Resposta de n° 6.

Amado Cláudio.
Graça e Paz!

Seus argumentos são firmes, coerentes e expressa em sua maioria o que penso sobre o ecumenismo. O simples fato de ministrar a Palavra na Igreja Católica, e diga de passagem, num culto de formatura; não me qualifica de ecumênico.

E por falar em ecumenismo, em breve estarei postando em meu blog algumas razões porque não sou ecumênico.

Deus continue te abençoando.

7. Uma moça católica que trabalhou comigo, por nome Luciana Diniz, me enviou por e-mail, o seguinte parecer:

Espero que esteja tudo bem com você e sua bela família.

Na minha opinião você deve ir ministrar a palavra de Deus, o que importa é a benção de Deus no momento da formatura, independente do local.

Abraços!!! Luciana Diniz

Resposta n° 7.

Olá, Luciana,
Graça e Paz sobre sua vida!

Quanto a mim, vai tudo bem; quanto a minha esposa e meu filho, tudo muito bem.

Obrigado pela opinião e que Deus venha alargar as fronteiras de sua vida profissional.

OBS. Não me esqueci do convite para realizar o seu casamento.

8. O professor de teologia e amigo Anísio, enviou-me por e-mail o seguinte comentário

Olá, Pr.Sylas.
A paz do Senhor.

Como você disse, cada caso é um caso.

Acho que, ser bom ou mau, vai depender de qual será sua participação.

Apesar de ser uma situação diferente, pode haver alguma semelhança com as idas de Jesus à sinagoga. Ele não seguia a doutrina dos religiosos donos da sinagoga, mas ele foi lá e deu o seu recado (Lc.4 por exemplo). Paulo também foi lá e deu o seu recado.

Se você puder dar o seu recado, pode ser positiva sua ida.

O recado pode ser forte e causar até um escândalo, mas geralmente não é o que queremos.

O recado pode ser mais suave, porém eficiente.

A dose do remédio será determinada por você. Se for muito forte pode matar os doentes.

Em Mateus 7, por exemplo, no final do sermão do monte, as pessoas constataram que o ensino de Jesus era diferente do ensino dos escribas. As pessoas reconheceram nele a verdade e a autoridade.

Se as pessoas ali presentes reconhecerem a unção de Deus em você, ainda que elas não chamem assim, sua ida terá sido útil, e poderá marcar muitas vidas.

Deixo aqui esses pontos para você pensar e tomar sua decisão.

Um abraço.
Anísio.

Resposta de n° 8.

Dileto professor e amigo, Anísio,
A Paz de Cristo!

Conhecendo você e ciente da grande habilidade de pregar, ensinar e escrever; não esperava outra coisa de sua parte. Saiba que o seu comentário tem grande peso para mim!

Abraços, extensivos a Joice e a filha.

Obs. Gostaria de aproveitar a participação do prof. Anísio para divulgar ainda mais o seu site, e dizer, que trata-se de uma excelente ferramenta teológica e prática para os cristãos. Seus artigos e mensagens são de uma profundidade tremenda e de uma intelectualidade admirável.

http://www.geocities.com/athens/agora/8337/

Não deixem de acessar.

5 comentários:

Luis Paulo Silva disse...

Paz amado!

Quero manifestar a minha opinião sobre o Sr. ter ido a uma igreja católica.
Tem um monte de farizeu preocupado com aparencia, imagem, enfim, menos com as almas. São o tipo de crente que não praga pra prostitutas, nem pra ninguem que necessite tanto quanto elas, por que "alguém pode entender mal". Eu tenho vontade de ser convidado pra um evento como este.
O Sr. está de parabéns.

Aproveito o contato para deixar o endereço do meu blog, caso queira visitar e deixar alguma opinião que venha edificar:

www.despertaiceifeiros.blogspot.com

sylasneves disse...

Prezado irmão Luis Paulo,

A Paz de Cristo!

Obrigado por emitir a sua opinião sobre a minha ida na ICAR.

Quanto ao fato de 'afetar' a imagem ou ser confundido ou taxado de ecumênico, como alguns assim o fizeram; não vou me preocupar com isto, pois, o que importa é que a Palavra teve livre acesso e foi ministrada sem rodeios.

Que Deus continue te abençoando, e oxalá que o irmão receba um convite como este.

Luis Paulo Silva disse...

Amém pastor.
Um dia eu vou receber sim. Se Deus permitir.

Paz!

a verdade do evangelho disse...

É isso aí Pastor, deixa os fariseus criticar á vontade. o que importa é fazer a vontade de Deus. Já pensou se o Apóstolo Paulo se recusasse ir ao areopágo pregar para os filosofos epicureus e estóicos? Ah! como eu queria ter uma oportunidade como esta que o senhor teve. Se te chamare novamente vai, e quando for me avise para eu orar por você.

Edinei Siqueira - e-mail: edinei.stott@gmail.com

Blog do Pr. Cícero de Souza disse...

Pr. Sylas Neves e senhores comentarístas. Graça e Paz!

Creio que os senhores deveriam pensar não só em como nós vemos a questão de um Pr. evangélico pregar em um recinto ou igreja católica romana,pois a maioria,(ai me incluo),não vemos nenhum problema, pois é míster que façamos tal coisa, e assim cumpriremos o ide de Jesus.
Mas coloquemo-nos no lugar dos romanistas e consideremos sua visão ecumênica de tal situação.Então faça uma pergunta para sí mesmo. "Será que "eles" pensam da mesma forma que nós em relação a tal questão? Ou consideram que seu empreendimento ecumênico tem dado certo ao ponto de estarem unindo tambem os protestantes evangélicos!?...

Em breve leiam na integra um artigo em meu blog com o Título "Unionismo" A versão ecumênica do protestantismo>